ícone calendário

Sobre

História da Imprensa Oficial do Estado

A Imprensa Oficial do Estado do Amazonas (IOA) foi criada pela Lei n° 01, de 31 de agosto de 1892, no gestão do engenheiro Eduardo Gonçalves Ribeiro, que logo após sua criação designou o engenheiro Armênio de Figueiredo, à época, Diretor da Repartição das Obras Públicas, para dirigir a construção do prédio onde deveria funcionar a Imprensa Oficial.

O local escolhido para a edificação foi a Avenida 7 de Setembro, no centro de Manaus, onde, hoje, funciona o banco Bradesco (antiga agência do Banco do Estado do Amazonas - BEA).

Primeiro edificação em que a Imprensa Oficial foi instalada

Em sua primeira edição, o Diário Oficial do Estado (DOE) circulou com oito páginas, no dia 15 de Novembro de 1893, dia em que se comemorava o quarto ano da Proclamação da República. Na primeira página foi publicado o decreto n° 037, de 08 de novembro de 1893, criando e regulamentando a Repartição de Terras.

Os três primeiros exemplares do DOE foram impressos em tecido de cetim e oferecidos pelo Governador Eduardo Ribeiro ao Capitão Tenente João Pereira Leite, Comandante da Flotilha, ao Tenente Coronel Geografo de Castro Silva, Comandante do 36° Batalhão de Infantaria, e ao Barão de Juruá, Vice-Governador do Estado, cujo nome completo era Guilherme José Moreira.

O preço da assinatura, na época de seu lançamento, era de 12$00 réis, por ano, para entrega na Capital-Manaus e 15$00 réis, para entrega no interior do Estado.

O Castelinho

O Diário Oficial testemunhou a fase áurea da borracha, a inauguração do Teatro Amazonas (1986), a Guerra dos Canudos (1897), a morte do Governador Engenheiro Eduardo Gonçalves Ribeiro (1990), a inauguração do Porto de Manaus em (1909), a implantação da Zona Franca de Manaus em (1967), a visita do Papa João Paulo II (1980), a proclamação da Nova Constituição Estadual (1989) e as mais recentes, como a passagem da Tocha Olímpica pela cidade de Manaus (2016).


Atualmente, a IOA tem sua sede localizada na Rua Tefé (antiga Rua Dr. Machado), atendendo os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, na divulgação dos atos oficiais que representam a transparência, sendo hoje uma Autarquia que se auto-financia através da venda de publicidade legal no Diário Oficial e venda de serviços gráficos para Órgãos Públicos.

No ano de 2019, a Imprensa Oficial iniciou a mais significativa mudança de sua história. Foi dado início aos trabalhos do Diário Oficial Eletrônico. A versão eletrônica, do DOE, além de facilitar o acesso à informação, garante a confiabilidade e autenticidade do documento consultado, possibilitando o uso da Certificação Digital, oferecendo segurança na publicação, agilidade e desburocratização no processo de publicação dos conteúdos. Além disso, as pesquisas e acessos às informações publicadas no Diário Oficial Eletrônico podem ser feitas de várias formas e combinações, o que possibilita, em poucos clicks, consultar inúmeros conteúdos em um curto espaço de tempo.